Trânsito

Crescimento no número de acidentes em rodovias de SC acende alerta para cuidados

Rodovias estaduais e federais do Estado registraram aumento de 8,4% e 5,7%, respectivamente, em 2024 ao comparar com o mesmo período do ano passado

Crescimento no número de acidentes em rodovias de SC acende alerta para cuidados Foto: Imagem Ilustrativa

O número de acidentes de trânsito nas rodovias estaduais de Santa Catarina no primeiro trimestre de 2024 teve aumento de 8,4% em relação ao mesmo período de 2023. Os dados são da Polícia Militar Rodoviária de Santa Catarina (PMRv). Já nas federais, o aumento foi de 5,7% durante o mesmo período do ano passado, segundo a Polícia Federal Rodoviária (PRF). 

Os dados chamam a atenção em meio ao Maio Amarelo, movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito. A cor representa o alerta que estes dados devem trazer para os perigos nas estradas catarinenses, conforme pontua a especialista em trânsito Márcia Pontes. 

“O aumento dos acidentes nas rodovias estaduais e federais acontece porque é nas rodovias que o motorista abusa da velocidade. Quando o condutor está numa rodovia, ele só pensa que quer chegar logo“, destaca. 

Entre janeiro e março deste ano, 1.803 acidentes foram registrados nas 107 rodovias estaduais de Santa Catarina, em contrapartida aos 1.663 do ano passado. A SC-108 lidera com 108 ocorrências, segundo a PMRv. 

Já nas federais, foram 2.050 ocorrências nas 10 rodovias catarinenses no primeiro semestre de 2024, contra as 1.939 em 2023. 

SC-390 é a mais perigosa entre as estaduais

As rodovias estaduais com o maior número de mortes nos primeiros 90 dias de 2024 são a SC-390, que se estende de Tubarão, no Sul do Estado, e vai até São Joaquim, na Serra, e a SC-108, que tem início em Joinville, no Norte, e vai até Praia Grande, no Sul. As duas têm cinco óbitos cada. 

Apesar do aumento nos acidentes, o número de mortos nas rodovias estaduais de Santa Catarina diminuiu: em 2023 foram 45 no primeiro trimestre, enquanto em 2024 foram 38. 

As rodovias estaduais que registraram mortes representam 6,5% do número total das vias presentes em Santa Catarina, que é de 107. Saiba quais são: 

SC-108 — 5 óbitos

SC-390 — 5 óbitos

SC-110 — 3 óbitos

SC-477 — 3 óbitos

SC-418 — 2 óbitos

SC-407 — 2 óbitos

SC-355 — 2 óbitos

 

Nas federais, BR-101 lidera 

Nas federais, a que tem mais acidentes e número de mortos é a BR-101, que teve 1.123 ocorrências e 30 óbitos nos primeiros três meses desse ano, o que corresponde a 31% do total de acidentes nas rodovias de Santa Catarina. 

O número de mortos nas rodovias federais do Estado também aumentou, se comparado com os números do primeiro trimestre do ano passado. Em 2024, foram 95 mortes, enquanto em 2023 foram 93. 

Saiba o número de mortes nas rodovias federais 

BR-101 — 30 óbitos

BR-282 — 29 óbitos

BR-470 — 12 óbitos

BR-280 — 11 óbitos

BR-116 — 9 óbitos

BR-153 — 3 óbitos

 

As rodovias BR-158, BR-163, BR-285 e BR-480 não registraram óbitos durante o primeiro trimestre de 2024. 

Acidentes estão entre as ocorrências mais graves do SAMU 

Os acidentes de trânsito também lideram o número de atendimentos do Samu. Em Santa Catarina, nos primeiros 90 dias deste ano, as Unidades de Suporte Avançado (USA) atenderam 668 ocorrências. Elas estão entre as mais graves atendidas por profissionais do Estado. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES). 

O maior volume de acidentes registrados é entre motocicletas e veículos, que somam 235 ocorrências. 

“Os acidentes de trânsito atendidos pelas nossas equipes têm pacientes graves ou em situação crítica com risco de morte iminente. A causa desses acidentes é quase sempre decorrência do uso de bebida alcoólica, excesso de velocidade e imprudência dos motoristas“, avalia o diretor técnico do SAMU/USA, Bruno Quércia. 

Comportamento dos motoristas explica aumento 

O aumento no número de acidentes nas rodovias estaduais e federais do Estado pode ser um reflexo do comportamento dos motoristas, segundo a especialista em trânsito Márcia Pontes. No primeiro quadrimestre de 2024, de janeiro ao início de maio, por exemplo, foram aplicadas 32.567 multas por excesso de velocidade pela PMRv. 

“Tem motorista que, ao entrar no carro, tem uma forte sensação de isolamento em relação ao que acontece em sua volta, mas o trânsito é um espaço compartilhado. O condutor não controla apenas o que acontece com ele, e o excesso de velocidade é consequência desta sensação do motorista, que confia só “no seu braço”” explica Márcia. 

No Brasil, o excesso de velocidade também está em primeiro lugar nas infrações, com mais de 1 milhão de multas no primeiro trimestre de 2024, segundo levantamento da PRF. 

Maio Amarelo 

O Maio Amarelo é uma iniciativa internacional que busca chamar a atenção para o índice de mortos e feridos no trânsito. No Brasil, o movimento já tem uma década, tendo início em 2014. As campanhas devem unir o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil no propósito de discutir e criar estratégias voltadas à segurança viária. 

O amarelo simboliza atenção e a sinalização e advertência no trânsito, mas para a especialista, isso deve seguir no ano inteiro.

“O que a gente vê é muito barulho no mês de maio e ao longo do ano um silêncio preocupante em relação às campanhas de trânsito. Precisamos ter janeiro, fevereiro, março, abril amarelos. Nos 365 dias do ano“, afirma Márcia Pontes.

 

Fonte: Ana Menezes / Diário Catarinense / NSC Total

Faça parte da nossa Comunidade no WhatsApp e fique por dentro de todas as notícias!

 

 

Outras Notícias