Sepultamento de Leandro Klaumann Pierri, que foi encontrado no rio Itajaí do Sul foi nesta quinta-feira (1°) em Petrolândia

Família optou por não fazer velório.  

Enviar no WhatsApp
Sepultamento de Leandro Klaumann Pierri, que foi encontrado no rio Itajaí do Sul foi nesta quinta-feira (1°) em Petrolândia

Foto: Redes Sociais

 

Chegou a um triste fim, a busca pelo garoto Leandro Klaumann Pierri, de 17 anos. Ele foi encontrado por volta das 12h desta quarta-feira (31), enroscado em galhos de árvores à margem do rio Itajaí do Sul, na localidade de Cobra Sul em Aurora. O corpo estava em avançado estado de decomposição.

Leandro manteve contato com a família pela última vez no dia 20/08. Ele morava com os avós maternos na localidade de Rio Galego, em Petrolândia. Naquele dia, ele pediu para que o avô o levasse até Ituporanga, na casa dos avós paternos. 

De lá ele saiu sem que ninguém o visse. Deixou roupas e o celular. Também deixou mensagens em tom de despedida para algumas pessoas, inclusive da família. 

Em imagens recuperadas em câmeras de segurança, ele foi visto na praça da igreja no centro de Ituporanga e, também, que ali pertinho, acessou a ponte Vitório Sens, porém, não havia registro de que ele havia saído do outro lado, nas proximidades da gruta de Ituporanga. 

No dia 24 de agosto, o Corpo de Bombeiros começou a fazer buscas nas proximidades da ponte. E, por fim, o encontraram nesta quarta-feira (31).

No mesmo dia, os avós Lauro Klaumann e Rosa Pickler e o pai Jaison Pierri divulgaram, através de uma nota de falecimento que não haveria velório e o sepultamento seria realizado na manhã desta quinta-feira, 1° de setembro, às 08h30 no Cemitério Municipal em Petrolândia.

Segundo os avós Lauro e Rosa, Leandro era um menino tranquilo. Estava trabalhando e cursava o ensino médio e se preparava para prestar vestibular no intuito de buscar uma vaga em uma universidade federal. Era comprometido com os estudos e também com a família. 

A avó relatou que Leandro não sofria de depressão. Mas, segundo o avô, recentemente a família buscou auxílio médico já que ele passou por uma crise de ansiedade. 

Pelos meios de comunicação, redes sociais, todo o Alto Vale acompanhou os últimos passos do menino. Um estranho que se tornou conhecido por ter desaparecido e pela busca da família por notícias. 

Um história que teve um fim trágico e comoveu a todos. Neste momento, a comunidade de Ituporanga e de toda a região se unem em enviar boas vibrações para a família e amigos e que o garoto cheio de sonhos, que tinha tanto a viver, esteja em paz.

 

Por Isabel Caetano/Rádio Sintonia
 


 

Outras Notícias

PUBLICIDADE

Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Confira nossa Política de privacidade e nosso Termo de uso.

Concordo