Desaparecimento de mulher no Alto Vale ainda é mistério para a polícia de SC

Investigações em Agronômica completam 20 dias; delegacia não descarta nenhuma hipótese.

Desaparecimento de mulher no Alto Vale ainda é mistério para a polícia de SC

Vanisse está desaparecida desde 23 de julho (Foto: Facebook)

 

Há quase 20 dias familiares e amigos de Vanisse Venturi, 39, aguardam alguma notícia sobre o paradeiro dela. A moradora de Agronômica, no Alto Vale do Itajaí, desapareceu da casa onde mora, próximo à BR-470, na manhã do dia 23 de julho. Desde então, uma onda de compartilhamentos nas redes sociais tenta buscar alguma pista sobre o ocorrido. A Polícia Civil trabalha com diversas hipóteses. 

Vanisse sumiu do imóvel apenas com a roupa do corpo enquanto os filhos de 12 e 18 anos ainda dormiam. O marido já havia ido trabalhar na plantação de arroz. Quando os garotos acordaram, a mãe, que é dona de casa, não estava.

— Minha mãe perdeu um filho em 2018 e meu pai faleceu no ano passado, está sendo muito difícil — desabafa a irmã de Vanisse, Vanessa Vieira.

O marido teria notado a ausência de dinheiro e de um cartão na carteira dela. Foi ele quem registrou o boletim de ocorrência no dia seguinte ao desaparecimento. Eles estavam, desde o final do ano passado, definindo sobre o fim do casamento de 20 anos, mas a convivência seria amigável, segundo relatos da família.

Vanessa descarta a possibilidade da irmã ter abandonado o lar, já que é muito apegada aos meninos. Um sequestro foi cogitado pelos parentes, mas nenhum contato foi feito até o momento com as autoridades ou com a própria família. 

Trabalho policial intenso

A Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese, explica a policial Bruna Ferrari. Sem revelar muitos detalhes para não atrapalhar as apurações, garante que há uma linha de investigação que começa a ganhar força na equipe.

Desde o registro do desaparecimento, nove policiais trabalham diariamente em buscas pela região. Uma delas foi feita com a participação de três cães farejadores dos bombeiros e Polícia Militar. Nada foi encontrado.

— Todos os policiais da DIC (Divisão de Investigação Criminal) estão se dedicando a este inquérito coordenado pelo delegado Tiago Cardoso Silva. Nós acreditamos que terá uma solução — diz a policial.

Enquanto o desfecho não ocorre, familiares compartilham fotos da mulher nas redes sociais em busca de alguma pista. A ação mobilizou a cidade de pouco mais de 5 mil habitantes: 

“Minha sobrinha, como quero te abraçar e te falar o quanto te amo. Tenho certeza que nossa busca não será em vão”, escreveu um tio de Vanisse no Facebook.

 

Por Bianca Bertoli

Santa / NSC Total

Outras Notícias

PUBLICIDADE